segunda-feira, 27 de agosto de 2012

"Raptada" de Lauren DeStefano [OPINIÃO]


Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 256
Editor: Editorial Planeta
ISBN: 9789896572204


Sinopse:
Graças à ciência moderna, todos os recém-nascidos são bombas-relógio genéticas - os homens só vivem até aos vinte e cinco anos e as mulheres até aos vinte. Neste cenário desolador, as raparigas são raptadas e forçadas a casamentos polígamos para que a raça humana não desapareça. Levada pelos Colectores para se casar à força, Rhine Ellery, uma rapariga de dezasseis anos entra num mundo de riqueza e privilégio. Apesar do amor genuíno do marido Linden e da amizade relativa das suas irmãs-esposas, Rhine só pensa numa coisa: fugir, encontrar o irmão gémeo e voltar para casa. 
Mas a liberdade não é o único problema. O excêntrico pai de Linden está decidido a encontrar um antídoto para o vírus genético que está prestes a levar-lhe o filho e usa cadáveres nas suas experiências. Com a ajuda de um criado, Gabriel, pelo qual se sente perigosamente atraída, Rhine tenta fugir no limitado tempo que lhe resta.

Opinião:

Raptada é o primeiro volume da saga "O Jardim Químico" de Lauren DeStefano.
DeStefano leva-nos a uma realidade futura, onde a tecnologia domina, e onde todos temos uma data de validade, sendo que os homens morrem aos vinte e cinco anos, e as mulheres aos vinte, excepto os chamados "Primeira Geração", que são os únicos que chegam a envelhecer, vendo os seus filhos a morrer pela contaminação do vírus que impreterivelmente lhes tira a vida!
É neste clima que surge esta sociedade constituída por apenas duas classes sociais: os pobres e os ricos, que para procriarem, raptam jovens das ruas e as casam com os governadores das casas.
É assim que o livro começa, com a constatação de Rhine que fora raptada e escolhida por um governador para ser sua esposa... e com ela, seguem mais duas jovens, a mais velha é Jenna com 18 anos, seguida por Rhine com 16 e por fim, Cecily com 13 anos.
Rhine é a personagem à volta da qual a acção se desenrola. Filha de pais de primeira geração, com um irmão gémeo, e dotada de uns olhos fora do vulgar, torna-se um belo troféu para o seu marido.
Sempre com a ideia de fugir, Rhine luta pela sua sobrevivência na mansão, mas em vez de se apaixonar pelo seu dócil e submisso marido, o seu coração bate pelo criado Gabriel, e é com ele que planeia fugir para voltar a encontrar Rowan, o seu gémeo, mas para isso terá de escapar das garras do pai de Linden, o temível e cruel Vaughn... conseguirá?
Confesso que estava um pouco céptica em relação a este livro, pois não costumo ser grande apreciadora de realidades futuristas baseadas na tecnologia e com pouca "humanidade", mas "Raptada" surpreendeu-me, agarrando-me logo de início!
A sociedade de Rhine é injusta e cruel, e arrepia-nos desde a primeira página!
Fiquei fascinada com a estória de Rhine, da sua luta, e apaixonei-me pela sua causa!
Rhine é uma personagem bem madura para a sua idade, o que não me espanta devido à sua vivência na classe pobre.
Uma personagem bem sólida e compassiva, mas também forte e astuciosa, que atrai o leitor de imediato!
Juntamente com Rhine, temos Gabriel, uma personagem com carácter mas ainda bastante misteriosa e da qual pouco sabemos, o que só nos desperta mais a curiosidade!
Espero ter a oportunidade de conhecer melhor as origens de Rhine e dos seus pais nos próximos livros, assim como o seu gémeo Rowan, que pelo pouco que já li do mesmo, será, certamente uma personagem bem interessante e relevante.
Algo me diz, que não foi a última vez que ouvi falar do Supervisor Vaughn, de Cecily, Jenna e de Linden, que embora personagens secundárias, são de extrema importância na acção.
Congratulo a autora pelo mundo inovador e pormenorizado que criou!
Para aqueles que pensam que "Raptada" é uma leitura leve e juvenil, não poderiam estar mais enganados.. este primeiro volume é intenso, confrontando-nos com temas tabu como a pedofilia e a poligamia, não deixando nenhum leitor indiferente!
É pela sua carga emocional e pelo enredo fantástico que DeStefano conquista os leitores, proporcionando-lhes momentos de puro êxtase com muito suspense, paixão, dor e alegria!
"Raptada" foi uma das surpresas do ano e mal posso esperar pela sua continuação! 


1 comentário:

  1. Parece ser mais uma boa série para juntar à montanha de "para ler" :P

    ResponderEliminar